Como vim parar em Dubai

Uma semana antes da viagem, ainda meio incerta sobre a escolha feita, chego no cartório para registrar uma procuração e vejo a seguinte frase escrita à mão num quadro branco na parede:

“Se os seus sonhos não te assustam, eles não são grandes o suficiente” Ellen Johnson-Sirleaf

2016 não foi um ano fácil. Meu estágio completava 2 anos e as oportunidades existentes não casavam com minhas expectativas. Defini como meta do ano me tornar  consultora da Falconi, maior consultoria em gestão no Brasil, e empresa que admiro desde o primeiro ano de faculdade. Até julho, além do estágio, fazia 10 matérias de engenharia, escrevia meu TCC e me dedicava para o processo seletivo da Falconi.

Em julho, me formei e… minha grande surpresa e o meu maior fracasso: não fui selecionada no processo.

8e9d946b75470ed6a3585e3ffa2080ab

Sempre fui muito determinada com meus objetivos, e até então nunca tinha deixado de conquistar algo que me dedicasse a conseguir. Me senti no ponto mais baixo desse iceberg.

Para repensar a vida e traçar novos planos, decidi tirar uma folga do trabalho em agosto (agora já não era mais estágio) e fazer uma viagem por toda a costa desde Vitória até o Ceará. Era o gás que eu precisava para começar a maratona de trainees.

Decidi investir meu tempo e uma grana nos mais variados programas de trainees porque queria, definitivamente, um novo desafio profissional para 2017 e também entender os processos de seleção e o motivo pelo qual havia reprovado na Falconi.

Muitas provas, muitas cobranças, muitas negativas, muitas exigências! Como assim eu tenho que ser excelente em tudo e ainda conseguir mostrar isso através de entrevistas completamente mecânicas e impessoais em um ambiente extremamente competitivo e desgastante? Foram quatro meses de aeroporto em aeroporto, cidade em cidade. Difícil se renovar, uma sugada de energia a cada entrevista.

Aprendi. Aprendi muito sobre mim. A falar comigo, a falar sobre mim, a falar dos meus defeitos, a descobrir os meus defeitos, e exaltar minhas qualidades. Esse com certeza foi meu maior aprendizado, o autoconhecimento. E valeu o investimento.

Ao final da tempestade, o resultado de todo esforço e dedicação: fui selecionada por grandes empresas pelas quais tenho grande admiração. Pearson, Eleva Educação, Cultura Inglesa, e adivinha.. Falconi!

image001

E o que Dubai tem a ver com isso?

Ainda em 2015, perplexa com tantas novidades consequentes do Prêmio Nacional IEL de Estágio, decidi aproveitar ao máximo e dizer SIM para todas as oportunidades – algo que aprendi ainda nova durante período de adaptação em intercâmbio na África do Sul – dormi 4 horas por noite por alguns meses para dar conta de tudo.

Uma das oportunidades consistia em representar a sociedade, de forma voluntária, no projeto de Cidade Inteligente e Humana de Vitória. No natal, comentando empolgada com a família sobre esse projeto, um primo mencionou trabalhar em uma empresa que havia desenvolvido um projeto similar na Alemanha. Tentei por certo tempo articular uma ligação entre o nosso projeto e a tal empresa.

Muito tempo se passou, o estágio, as 10 matérias, o TCC, o fracasso da Falconi, o sucesso com os trainees, e eis que essa empresa me aparece. O escritório de Dubai precisava de uma pessoa recém-formada, de preferência em engenharia de produção, e mulher!

Voltando pra frase de Ellen Johnson-Sirleaf entre as opções que eu tinha, fiz aquela que mais me “assustou”, que mais me deu frio na barriga: trabalhar na Advanced Logistics Group, uma consultoria, em Dubai.

“Todo progresso acontece fora da zona de conforto” Michael John Bobak

Não existe busca por oportunidades. Não é preciso “se mostrar” nem “se vender” para conseguir novas oportunidades. Você está sempre sendo observado e avaliado pelas suas atitudes e valores. As conquistas são construídas pouco a pouco, dia após dia. O desconhecido ao seu lado hoje pode ser seu sócio amanhã.

Por conta da diferença de fuso horário e dificuldade de comunicação, vou começar a contar um pouquinho do que tenho vivido nesse espacinho aqui 🙂 valeu!

Advertisements

6 thoughts on “Como vim parar em Dubai

  1. Ai, ai…. como não se emocionar. Vc é mesmo diferente. Tenho muito orgulho de vc! E sabe aquele seu sonho de através da sua trajetória ir servindo de inspiração para tantos outros jovens, então…tenho certeza que vc está no caminho certo e com esse canal aqui….não tenho dúvidas que vc vai ajudar muitos jovens. Então, te desejo muito, mas muito sucesso mesmo e principalmente que vc seja muito feliz. Vou te acompanhando por aqui, viu? Mande sempre notícias porque aqui em Vitória tem mais uma pessoa que torce muito por vc. Bjo grande e precisando estou por aqui.

    Like

  2. Parabéns, Fernandaaaa! Você merece conquistar muitas coisas pelo seu talento e pela sua coragem. Vai fundo que o mundo é seu!! 🌏 🙂

    Like

  3. Aí que legal! Parabéns ferna, que seja um caminho muito iluminado e o sucesso com certeza já é garantido! Você vai longe 😉 bjsss

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s